A   B   C   D   E   F   G   H   I   J   K   L   M   N   O   P   Q   R   S   T   U   V   W   X   Y   Z  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

ERVA CAPITÃO

Nome Científico:
Hydrocotyle bonariensis  Lam.

Família botânica:
Araliaceae (antiga Apiaceae)

Sinonímias:
Hydrocotyle bonariensis var. multiflora (Lam.)Don ,Hydrocotyle umbellata var. bonariensis (Lam.)Spreng., Hydrocotyle verticillata var. bonariensis (Lam.) Urb., Hydrocotyle bonariensis var. texana J.M. Coult. & Rose.


Nomes populares:
Acariçoba, para-sol, barbarosa, acaricaba, acariroba, etc.

Origem ou Habitat:
Continente Americano.

Características botânicas:
Planta herbácea perene, prostrada, acaule, rizomatosa. Folhas simples, coriáceas, peltadas, longo-pedunculadas, totalmente glabras em ambas as faces, brilhantes, de 5 a 8 cm de diâmetro. Flores discretas, de cor verde-amarelada, dispostas em panículas de umbelas no ápice de longa haste floral que as dispõem acima da folhagem.

Partes usadas:
folhas e rizomas.

Uso popular:
Suco das folhas e pecíolo usado para remoção de pintas e sardas. Rizomas são usados contra males do fígado e dos rins, como emética, diurética e laxativa. Usada também para curar reumatismo, hidropsia e como aperitivo. Já foi utilizada contra eripsela, escrófula, sífilis e tuberculose.
Indígenas das Guianas utilizam a decocção da planta inteira na forma de banho contra ferroada de um peixe venenoso (Hoplias macrophtalamus) cujo ataque é caracterizado por inchação e dores fortes.


Composição química:
O óleo volátil tem como principais compostos isotiocianatos, limoneno, γ-muuroleno, e-cariofileno, sabineno, α-copaeno, δ-cadineno e γ-terpineol.

Ações farmacológicas:
Rizoma: diurética, vomitiva, anti-reumática,¹ emética, laxativa,².

Efeitos adversos e/ou tóxicos:
As folhas são consideradas tóxicas para uso interno.

Contra-indicações:
É uma planta com poucos estudos.

Posologia e modo de uso:
usar externamente.

Observações:
esta espécie é muitas vezes confundida e utilizada como se fosse a Centella asiatica





Referências:

LORENZI, H; MATOS, F.J.A. Plantas Medicinais no Brasil: nativas e exóticas. Nova Odessa , SP: Instituto Plantarum, 2002. p. 481.

MORS, W. B.; RIZZINI, C. T.; PEREIRA, N. A. Medicinal Plants of Brasil. Algonac, Michigan: Reference Publications Inc., 2000.

http://www.tropicos.org/Name/50094808 - Acesso em: 27 de março de 2012.